O grupo étnico brasileiro Krahô, vive no estado do Tocantins em meio ao cerrado, um ambiente ameaçado e muito rico em diversidade. 

 

No início do século IX, estimava-se que os Krahô totalizavam cerca de 4 mil pessoas. Durante seus dois séculos de contato com povos não-indígenas, eles passaram por numerosos conflitos. Hoje há cerca de 2.500 Krahô que vivem distribuídos entre 13 aldeias. 

 

Atualmente, os Krahô não são mais auto-suficientes. A caça não é mais uma prática, pois suas terras têm sido diminuídas por terras agrícolas. As habilidades não são mais transmitidas para as gerações mais jovens. A pequena agricultura que ainda existe não é suficiente para alimentar a todos. Com o passar dos anos, os Krahô se tornaram acostumados a receber "ajuda" do governo. 

 

Um senso de humanidade, de apenas estar presente com eles criou momentos mágicos de alegria e verdadeiros momentos de tristeza compartilhada. Não tentar organizar a realidade dos outros tornou possível retratos que representam a aceitação e o amor para um resgate do sentido de pertencimento.